| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Get control of your email attachments. Connect all your Gmail accounts and in less than 2 minutes, Dokkio will automatically organize your file attachments. You can also connect Dokkio to Drive, Dropbox, and Slack. Sign up for free.

View
 

ACBEU Summer Camp

Page history last edited by andredasilvavidal 3 years, 11 months ago

Summer Camp ACBEU 2015: relato da experiência

 

Primeiramente, gostaríamos de agradecer a ajuda inestimável da nossa querida Daniela Lyra, que além de passar toda a experiência da CTJ ainda nos deu muito apoio moral.

 

Dividimos o camp em 4 dias e 4 tipos de atividades diferentes, para melhor manter o foco e desenvolver as atividades. Isso nos possibilitou ter alunos mais velhos no camp que estavam interessados em atividades específicas (electronics e coding).

 

Criamos um poster para cada dia de camp, colocando atividades extras e também figuras para incentivá-los. Esses posters foram feitos para serem reaproveitados futuramente e custaram bem barato (todos por 72 reais). Porém, não conseguimos atrair a atenção deles na maioria dos dias. Mas eles os notaram. No proximo camp pretendo utililzar alguns minutos para atrair a atenção deles para os posteres, que são bastante interessantes.

 

Data: 07/12 até 11/12

Idade: de 8 a 13 anos (mas tivemos aluno de 17 anos participando)

Valor: 180 reais (com desconto de 30% para amigos e parentes)

Número máximo de participantes: 20

Número mínimo: 4

 

Conteúdo do Smithsonian

 

Planejamos utilizar pelo menos um conteúdo do smithsonian por dia, porém não conseguimos. Quando as atividades começavam acabamos atropelando um pouco o planejamento.

 

Vale ressaltar que é um pouco dificil encontrar materiais que se enquadrem nas atividades, visto que a maioria é destinado a um publico fluente e adulto. Entretanto vale a pena gastar umas horinhas procurando e adaptando esses materiais que são riquissimos.

 

O Evento

 

Nosso publico foi de cerca de 10 alunos, com diferenças dia a dia, mas considero um sucesso, devido ao período que foi executado, a quantidade de pessoas que tínhamos disponíveis para o evento e também o espaço.

 

O publico foi majoritariamente masculino. Divulgamos e convidamos muitos alunos, porém pelo período de férias, muitos estavam viajando. Varias crianças tinham bastante interesse mas não estavam na cidade durante o evento.

 

Primeiro dia: Papercraft

 

Iniciamos o evento com um video sobre mudanças climáticas (https://www.youtube.com/watch?v=E6zW43U7yqM) e um que encontrei através do SMithsonian sobre borboletas monarcas (https://www.youtube.com/watch?v=03soGDi4gSg). Ao final relacionamos os dois videos e começamos pelo origami de uma borboleta.

https://www.schooltube.com/video/a0f6320408134907b1fc/Monarch%20Butterfly%20Origami

 

Expliquei passo a passo as dobraduras e a atividade demorou cerca de 30 minutos. Até mesmo os alunos mais velhos tiveram alguma dificuldade. Entretanto, os alunos amaram a atividade.

 

O plano era para seguir com uma dobradura de urso polar, mas desistimos dessa ideia ao terminar a borboleta.

http://giangdinh.com/pdfs/polarbear.pdf

 

A segunda atividade foi airplane papercraft:

http://cp.c-ij.com/en/categories/CAT-ST01-0085/index.html

 

Imprimimos diversos aviões fáceis de fazer e dois um pouco mais complicados para os alunos mais velhos. Isso se mostrou uma decisão errada, visto que essa atividade demorou demais, e foi repleta de erros durante as colagens. Na metade da atividade resolvemos trocar os aviões mais complicados pelos mesmos dos demais alunos. Dica: façam vários aviões antes e prestem bastante atenção, minuciosamente, nas instruções. Alguns detalhes que passam desapercebidos acabam por complicar tudo no final.

 

 


 

Ao final da atividade exibimos o video http://howthingsfly.si.edu/activities/forces-flight e expliquei aos alunos sobre a curvatura das asas. Eles deveriam fazer isso se desejassem que os seus aviões voassem. Nesse ponto eles ja estavam ansiosos demais pra prestar atenção. E assim que liberamos eles, tinha aviões voando pelos corredores da escola.

 

Permitimos que brincassem com os aviões por cerca de 10 minutos. Expliquei para alguns como criar flaps para controlar o vôo, mas a maioria estava contente em jogar de qualquer jeito. O plano era desafiá-los a fazer pequenos trajetos com os seus aviões, porém devidos a erros de colagem, corte etc, os aviões estavam instáveis demais para qualquer tipo de vôo controlado.

 


 

A ultima atividade do dia foi a construção de catapultas de papelão:

https://www.youtube.com/watch?v=iIf9q58cAuQ

 

A atividade parece bem simples, mas demora muito para ser finalizada. Os cortes são difíceis, mas desafiam os alunos a criar suas próprias soluções para cortar com mais eficiência. Um dos nossos alunos fez isso, e terminou muito mais rapidamente que os demais.

 


 

Apesar da dificuldade, eles adoraram. A atividade custou muito pouco e abriu a possibilidade de experimentação. Vários alunos mal terminaram a atividade e já estavam modificando suas catapultas para deixarem elas mais poderosas.

 

Não colocamos nenhum contexto nessa atividade. Foi somente a montagem e a diversão.

 

Segundo dia: Electronics

 

Sem smithsonian, nem muitas explicações aqui. Começamos colocando os bigbits nas mesas, expliquei sobre curtos circuítos e deixei eles fuçarem por um bom tempo. Depois que estavam familiarizados, comecei a lançar pequenos desafios, como ligar 1 lampada com dois switches em paralelo (basta um switch ligado para acender a lampada). Outro desafio bem difícil, que poucos conseguiram sem ajuda, foi o de controlar 1 motor e uma lampada de forma independente, usando um potenciômetro (ao girar o potenciômetro para um lado a lampada acende, e o motor para de funcionar, para o outro o oposto acontece).

 


 

O ideal nessa atividade é interferir o menos possível,e só ficar de olho para não criarem curtos circuitos que podem danificar as boards ou até mesmo explodir as pilhas.

 

A segunda atividade (essa foi um fracasso) foi paper circuits com papel aluminio. Não tive tempo de testar a atividade antes e deu no que deu. A maioria das crianças não conseguiu fazer os circuitos funcionarem, mesmo tendo feito os circuitos corretamente. O ideal teria sido fitas de cobre, mas não encontrei para comprar.

 

A última atividade foi robôs que desenham, utilizando copos descartáveis, canetinhas, motores de cd-rom e baterias de lítio. A atividade é tranquila para eles entenderem, mas é um tanto desafiadora para executar. Nem sempre a conexão do motor com a bateria é perfeita. É meio difícil grudar papelão na ponta do motor, descobri no final da atividade que é melhor furar o papelão e espetar no motor. O segredo dessa atividade é desbalancear o motor, eles devem experimentar o comprimento do papelão e o peso, e onde colar o motor.

 


 

Eles adoraram essa atividade, e no dia seguinte muitos me falaram que já tinham modificado o projeto. Acho que esse é o espirito maker que queremos difundir. Se ouvir isso após a atividade, saiba que ela foi um sucesso.

 

Terceiro dia: Cooking

 

Começamos o dia com eles criando seus próprios chef hats, com folhas coloridas, sacolas de plastico e fita adesiva. Também imprimimos o logotipo do camp e fizemos eles colarem nos hats.

 

https://www.youtube.com/watch?v=vuP3WZcgaqM

 

Depois passamos o holograma distribuído pela CTJ sobre fast food

 

https://www.youtube.com/watch?v=M3bYozfdzMI

 

e depois de uma breve discussão sobre comidas e ingredientes saudáveis iniciamos as atividades com um biscoite de chia e queijo, super simples de fazer.

 


 

http://www.asdeliciasdodudu.com.br/2015/10/biscoito-de-queijo-e-chia.html

 

Enquanto eles esperavam a massa do biscoito ficar descansar na geladeira, iniciamos com cookies de chocolate (não temos a receita, uma ex-professora auxiliou no preparo).

 

Quando estes foram para o forno, estava na hora deles desenharem seus biscoitos, criando as formas que queriam. Teve até minecraft…

 


 

Quando tudo estava nos fornos, passei um trecho do episódio “hiding in the light” do seriado cosmos. No trecho o Neil Degrasse Tyson explica sobre a descoberta da luz infravermelha. Alguns ficaram hiper concentrados durante o vídeo.

 

Depois do vídeo, demonstrei como é possível enxergar essa luz invisível utilizando um controle remoto e uma câmera de smartphone, e expliquei que era isso que estava assando os cookies deles.

 

A ultima atividade foi suco de laranja com couve. Aqui eles ajudaram a espremer as laranjas.

 


 

No final ainda faltavam 15 minutos, e ao invés de liberá-los, resolvemos criar uma atividade com açucares diversos. Colocamos 4 tipos de açúcar, explicando as diferenças entre eles, e depois fizemos um teste cego com eles. Eles tinham que adivinhar qual era o açúcar utilizado no suco, alguns acertaram todos! A intenção disso era de conscientizá-los de que podem utilizar produtos saudáveis sem alterações consideráveis de sabor.

 

Foi o dia mais divertido.

 


 

Vale ressaltar que os planos iniciais eram totalmente diferentes. Eu tinha planejado realizarmos uma atividade envolvendo a Julia Child, mas não haveria tempo para isso, e outra envolvendo forno de microondas e pipoca com marshmallow, e explicar a diferença entre forno elétrico e micro-ondas. Mas essa atividade seria muito simples se comparada com as outras.

 

Ultimo dia: coding

 

De longe o dia mais cansativo e frustrante.

 

Comecei a atividade com o My Robotic Friend, que eles entenderam rápido, mas por termos poucas pessoas ajudando, essa atividade acabou demorando mais do que o necessário e as crianças ficaram entediadas bem rapido.

 

Seguimos com o jogo Lightbot. Eles adoraram, mas também se frustraram nas fases mais difíceis. Esse jogo é uma boa sequência para o My Robotic Friend, por que demonstra bem a importância de se usar funções nos códigos. A criatividade aqui fala muito alto.

 

Dica: termine todas as fases do jogo, entenda bem os desafios, por que eles vão perguntar e pedir ajudar o tempo todo.

 

Finalizamos com Scratch, com uma explicação muito básica, e deixando eles brincarem com o aplicativo. Para os mais interessados demos alguns desafios, mas no geral fizemos uma atividade bem solta. As crianças estavam bem cansadas, e o bibliotecário/professor mais ainda.

 

Ao final da atividade com o Scratch, muitos voltaram para o lightbot, inclusive instalando em seus gadgets.

 

Comprei o aplicativo completo, depois disso, e posso afirmar que ele é bastante desafiador, e introduz o jogador aos conceitos básicos de programação, como funções, loops e conditionals. Bom para crianças assim como adultos.

 

O plano inicial nesse dia era ter vários desafios, tanto na primeira, quanto na ultima atividade, que dariam pontos aos que conseguissem. Porém, desistimos dessa ideia durante a atividade.

 

Conclusão

 

Foi uma semana bastante cansativa, com erros e acertos. Meu conselho e que sigam o conselho que me foi dado pela Daniela Lyra, não tentem fazer muitas atividades, por que não dá tempo, e planejem atividade simples, por que são a que eles mais gostam.

 

Aproveitem as atividades e experiencias já postadas na wiki, por que isso lhes poupará muitas horas de frustração e gastos desnecessários, além disso, isso fortalecerá a relação entre os centros e nos trará mais próximos dos objetivos desse grupo, um deles é afinal é colaboração.

 

 

Comments (2)

simei.bacelar@ccbeu.com.br said

at 11:34 am on Dec 18, 2015

Que relato maravilhoso. Obrigada por compartilhar todas as etapas e até o custo. Assim, erramos menos. Iremoa aproveitar algumas experiências, com certeza! Valeu!

danielac@thomas.org.br said

at 10:16 am on Jan 25, 2016

André! O seu relato é muito rico e detalhado. Acredito que pode ajudar American Spaces a criar atividades e acrescentar muito valor ao nosso trabalho. Obrigada!

You don't have permission to comment on this page.